“Mas Doutor! Só teve um carrapato!”

por ricardojuca — publicado 16 out 2012 - 15:16

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Olá leitores, o título já diz tudo, irei falar sobre os benditos carrapatos. Esta época do ano eles adoram aparecer, tem um solzão que eles adoram. Carrapatos infelizmente foi uma das porcarias trazidas pelos europeus, li em um site que tem em todos os continentes menos na Antártida. O carrapato que infesta o seu cãozinho pode contaminar ele com uma doença chamada Erliquiose (calma, é a famosa doença do carrapato), a Erliquiose é provocado quando um carrapato (eu digo um, porque basta ele picar uma vez para transmitir) contaminado transmite a bactéria Erlichia sp., esta bactéria ira então contaminar o seu cão. Geralmente o que eu percebo na clínica é que os proprietários se espantam quando eu digo que possivelmente o seu animal está contaminado pela Erliquiose, sempre argumentam que ele não tem, teve há 2 meses atrás ou até mais. Bom, para o animal ficar doente não precisa que a contaminação tenha sido causado hoje ou ontem, existe o tempo de incubação. A erliquiose como uma boa bactéria, vai crescer dentro do organismo e vai esperar o momento certo para crescer. Geralmente a doença começa a aparecer (sinais clínicos) quando o animal passa por algum problema que alterou a sua imunidade (o sistema imunológico está fraco), como por exemplo uma viagem, alteração de ração, mudança, morte ou afastamento do proprietário, vários fatores pode influenciar a imunidade do animal. Os sinais clássicos (se o seu animal apresentar algum sinal que vou apresentar a seguir, procure um Médico Veterinário, existe outras doenças que também causam esses sintomas) como tristeza, vômitos, anemia, não quer comer, fezes diarreicas com ou sem sangue. A erliquiose basicamente (bem resumido o que vou falar) causa a queda de plaquetas do sangue, plaquetas é um fragmento do sangue produzido pela medula óssea, ela tem a função de participar na coagulação sanguínea, nós e seu cachorro não morre de hemorragia por causa das plaquetas, então o animal com erliquiose pode apresentar vários pontos hemorrágicos dentro do seu organismo, levando o animal a anemia.

A erliquiose pode ser facilmente diagnosticada por uma boa anamnese do animal e exame de sangue. O tratamento é simples, a base de antibióticos e vitaminas.

Não existe vacina contra o carrapato, a tal vacina do carrapato é simplesmente a ivermectina, que é efetivo contra endo e ectoparasitas dos animais de produção (Boi, Ovelha, etc.), e para pequenos animais bastante utilizada contra sarnas, ou seja, foi verificado que no tratamento de sarna o animal que apresentava carrapatos, ficava sem os carrapatos, porém, simplesmente, os carrapatos não morriam e sim caiam no ambiente, retornando novamente para o corpo do animal para se alimentar. Teoricamente 95% dos carrapatos ficam no ambiente, por isso a importância de utilizar venenos para carrapatos no ambiente, e 5% ficam nos animais se alimentando.

Existe no mercado vários produtos contra carrapatos para animais e venenos para o ambiente. Existe um, Frontline® ,que realmente é muito bom, ele não é veneno, simplesmente ele mata o carrapato por convulsão, sendo indicado para animais que realmente estejam infestados por carrapatos. Outra forma de controle é o uso de coleira carrapaticida. O controle contra carrapatos é muito difícil, leva até meses para acabar com a infestação deles em uma casa. Porém, lembre-se nem todos os carrapatos estão contaminados, porém ele é um parasita e faz muito mal a saúde do animal.

 

Texto escrito por Dr. Ricardo Jucá

Rainha Elizabeth fica de coração partido ao perder seu último Corgi Galês

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 19:58

Apaixonada por cachorros da raça Corgi desde que seu pai introduziu esses animais na família, em 1933, a Rainha Elizabeth está de coração partido após a morte de seu último Corgi Galês.

No seu aniversário de 18 anos, a então Princesa Elizabeth ganhou o seu primeiro Corgi de presente de seu pai. A cadelinha Susan foi a matriarca de 14 gerações de Corgi Galês que a rainha manteve por muitos anos em suas quatro casas reais.

 » Read more about: Rainha Elizabeth fica de coração partido ao perder seu último Corgi Galês  »

Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira

por Samantha Kelly — publicado 19 abr 2018 - 8:35

Tem gente que olhou direto para o sofá. Mas nós, cachorreiros de primeira, fomos direto do cachorro. A primeira vez que vimos esse meninão, ficamos sem saber ele era mesmo um dog ou uma pantera.

Depois da confusão inicial, vimos que esse pretão lindo é o Marley, cão da raça Cane Corso e pet da musa maior Paolla Oliveira.

A atriz, que está sempre envolvida com a causa animal e frequentemente empresta sua imagem e tempo para chamar atenção para ongs e animais que necessitam de ajuda,

 » Read more about: Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira  »

Policial atira em cachorro no meio de uma praça em Campo Grande

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 7:00

No último domingo, dia 15 de abril, algumas famílias, incluindo crianças, estavam passeando em uma praça no bairro Arnaldo Esteves de Figueiredo, em Campo Grande, quando, de repente, escutaram barulho de tiro bem perto.

De acordo com informações repassadas por pessoas que estavam no local, um policial civil, que não teve o nome divulgado, atirou em um cachorro que se aproximou do seu cão.

O policial estava passeando no local com seu animal de estimação quando um cachorro da raça Labrador chamado Thor,

 » Read more about: Policial atira em cachorro no meio de uma praça em Campo Grande  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Rainha Elizabeth fica de coração partido ao perder seu último Corgi Galês

por Andrezza Oestreicher — publicado 19 abr 2018 - 19:58

Apaixonada por cachorros da raça Corgi desde que seu pai introduziu esses animais na família, em 1933, a Rainha Elizabeth está de coração partido após a morte de seu último Corgi Galês.

No seu aniversário de 18 anos, a então Princesa Elizabeth ganhou o seu primeiro Corgi de presente de seu pai. A cadelinha Susan foi a matriarca de 14 gerações de Corgi Galês que a rainha manteve por muitos anos em suas quatro casas reais.

A new photograph of The Queen at home at Windsor Castle, taken by Annie Leibovitz, will feature in @VanityFair in celebration of #Queenat90

A post shared by The Royal Family (@theroyalfamily) on

A cadelinha Willow, que tinha quase 15 anos de idade e era a última descendente de Susan, sofria de um câncer e estava sendo bem cuidado, porém, quando sua saúde piorou, a Rainha Elizabeth preferiu por fim ao sofrimento da amada cadela, que foi sacrificada no último domingo, dia 15 de abril, no Castelo de Windsor.

De acordo com uma fonte do Palácio de Buckingham, a perda de Willow, que se tornou sua companheira mais fiel, foi muito difícil para a rainha. “Ela lamentou a morte de todos os seus Corgis ao longo dos anos, mas ficou mais chateada com a morte de Willow do que qualquer um deles. E isso provavelmente porque Willow foi o último elo com seus pais e uma diversão que remonta à sua própria infância. Realmente parece o fim de uma era”, disse a fonte.

A escolha por não continuar a ter novos cães descendentes de Susan se deu por conta do medo que a rainha tinha de que acontecesse algum acidente, visto que ela já é idosa e os cachorros sempre ficam nos seus pés, ou de que ela tivesse um problema de saúde mais grave e acabasse deixando os animais.

Os cachorros têm passe livre pelas residências reais. (Foto: Reprodução / Instagram @theroyalfamily)

Apesar da profunda tristeza, a Rainha Elizabeth tem ainda três cães, dois Dorgis, mistura de Corgi com Dachshund, chamados Vulcan e Candy, e um Corgi, que foi adotado pela rainha depois que o tutor do animal, um funcionário do palácio de Sandringham, faleceu.

Fonte: The Daily Mail

Não é pantera! Conheça o cachorrão preto lindo de Paolla Oliveira

por Samantha Kelly — publicado 19 abr 2018 - 8:35

Tem gente que olhou direto para o sofá. Mas nós, cachorreiros de primeira, fomos direto do cachorro. A primeira vez que vimos esse meninão, ficamos sem saber ele era mesmo um dog ou uma pantera.

Depois da confusão inicial, vimos que esse pretão lindo é o Marley, cão da raça Cane Corso e pet da musa maior Paolla Oliveira.

A atriz, que está sempre envolvida com a causa animal e frequentemente empresta sua imagem e tempo para chamar atenção para ongs e animais que necessitam de ajuda, tem uma turma grande em casa e suas redes sociais estão repletas de registros dos pets.

Tenho certeza que metade da população brasileira desejou agora mesmo ser adotada por essa família.

 

Um tapete? Não… O Marley aproveitando o chão geladinho nesse calor. 🖤

A post shared by Paolla Oliveira (@paollaoliveirareal) on

A minha turma é da pesada… 😍🙈

A post shared by Paolla Oliveira (@paollaoliveirareal) on