Parvovirose em cães

Saiba tudo sobre a Parvovirose em cães: Transmissão, sintomas, diagnóstico, tratamento e como evitá-la.

por George Augusto — publicado 27 jan 2014 - 1:39

A Enterite Canina Parvoviral, mais conhecida como Parvovirose é uma enfermidade que acomete os cães e tem levado milhões a óbito todos os anos. Existem dezenas de subtipos do parvovírus, que causam doenças em várias classes de mamíferos, inclusive o Homem e o cão. Apesar disso, não se trata de uma zoonose, já que os vírus que atingem essas duas espécies, são distintos e específicos. Ela é causada pelo vírus que pertence à família Parvoviridae.

A Parvovirose canina pode atingir animais de diferentes idades, porém os cães mais novos (filhotes) são os mais acometidos por conta do seu baixo desenvolvimento imunológico. O parvovírus atinge principalmente o trato gastrointestinal do animal, como também, nos filhotes, afeta seriamente o músculo cardíaco, levando rapidamente a óbito.

 

Parvovirose em cães. Foto: Reprodução

Parvovirose em cães. Foto: Reprodução

 

Transmissão da Parvovirose

A forma de transmissão da Parvovirose pode se dar no ar (ao animal inspirar) ou também no contato do animal sadio com as fezes do animal infectado. O cão tem o hábito de lamber-se, como também aos outros, fazendo com que seu hábito seja uma porta de entrada para a famosa Parvovirose.

O vírus da Parvovirose é extremamente resistente no meio externo, sobrevivendo na maioria das vezes por até 6 meses. A erradicação dele no meio externo é praticamente impossível, já que o mesmo reside na superfície de plantas, solos e objetos, como: brinquedos de pet, sandálias e até mesmo na pata do animal. Um jeito bastante utilizado por proprietários para fazer a limpeza de casas e de canis é utilizando lixívia, porém não é totalmente eficaz para a erradicação do vírus da parvo.

 

Sintomas da Parvovirose

Os principais sintomas da Parvovirose, são: Vômito intermitente; diarréia bastante fétida e com presença de sangue; febre; falta de apetite; desidratação e depressão.

Na maioria das vezes, os cães chegam a óbito após 72 horas, por conta da forte desidratação devido ao vômito e a severa diarréia.

 

Diagnóstico da Parvovirose

O diagnóstico da doença só pode ser feito por um médico veterinário, pois o mesmo irá avaliar o caso, passando assim, exames laboratoriais, como: hemograma e exame de fezes para avaliar se há ou não a presença do vírus no bolo fecal.

 

Tratamento para Parvovirose

Infelizmente, atualmente não há tratamento eficaz que mate o vírus da Enterite Canina Parvoviral, a Parvovirose, entretanto, existem tratamentos de apoio escolhidos pelo médico veterinário na tentativa de uma melhora do animal. A melhora ou não do animal, depende principalmente do seu sistema imunológico, sabendo que, mesmo havendo uma melhora significante, o animal irá ainda ser portador do vírus da Parvo.

 

Como evitar Parvovirose

O melhor jeito de combater a Parvovirose é prevenir a mesma, fazendo a vacinação anualmente do seu cão. É bastante importante vacinar as fêmeas antes da cobertura, evitando assim, que seus filhotes contraiam a parvo ainda na barriga na mãe. Também é aconselhado que se um animal apresentar algum sinal clínico semelhante à o da parvo, isolar o mesmo e, chamar um médico veterinário para avaliar o caso e, se necessário, começar com a terapia medicamentosa.

Jamais tome decisões precipitadas medicando seu cão, pois com uma terapia errada pode piorar o quadro clínico levando rapidamente o seu animal a óbito. Procure sempre a opinião de um médico veterinário.

 

Atualização 07/12/2014, 22:57

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

deixe seu comentário:

3 respostas para “Parvovirose em cães”

  1. […] já disseminam a doença para outros animais. Ela é bastante confundida com a parvovirose canina (mais sobre parvovirose aqui), por apresentar sinais clínicos […]

  2. jeferson disse:

    Eu sempre usei o Herbalvet para limpesa da área do meu cachorro. O veterinário disse que é muito bom mesmo esse produto, porém não descartou a vacina que é a principal aliada na prevençã da doença.

  3. Paula Elizie disse:

    O meu cão teve a parvo com 4 meses, achei que ele não fosse resistir pois estava muito debilitado, ficou 1 semana internado, recebeu alta porque não tinha mais aonde por o soro, pq já tinham colocado em todas as partes do corpo, quando chegamos em casa, ele não quis comer a papinha e sim ração, depois de 10 dias levei ao medico veterinário e ele estava totalmente recuperado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *