Primeiros socorros: Queimadura em cães

As queimaduras são classificadas em 4 principais graus

por George Augusto — publicado 30 jan 2015 - 11:07

Os cães domésticos são expostos constantemente a riscos que podem afetar a sua integridade física. Um fator que é muito frequente de ocorrência em cães, principalmente os de companhia, é a queimadura. Essa lesão é classificada em diferentes graus de severidade, variando de acordo com o tempo de exposição ou a potência do agente agressor. As queimaduras são classificadas em 4 principais graus:

Queimadura de I grau: Nesse caso, a lesão se instala principalmente na epiderme, ou seja, na camada mais externa da pele. É causada normalmente por exposição exagerada do animal a radiação solar. Tem uma cicatrização bastante rápida comparada aos outros graus. Podemos classificá-la como uma queimadura simples.

Queimadura de II grau: É classificada como de segundo grau, a queimadura em que a lesão acomete não só a epiderme (camada mais externa da pele), e sim a derme também. Na maioria das vezes é encontrada em cães que entraram em contato com metais quentes, como panelas, latas e etc ou até mesmo a água fervente. É diferenciada, porque logo pode-se observar a formação de bolhas.

Queimadura de III grau: Essa queimadura já é classificada como grave. Nessa lesão, a pele é totalmente atingida e danificada, fazendo com que o animal sinta bastante dor. Os animais que entram em contato diretamente com o fogo ou produtos extremamente ácidos podem chegar a um quadro de III grau.

Queimadura de IV grau: Essa é classificada com a mais severa queimadura. É nessa lesão que a queimadura pode chegar até o osso do animal. Sendo uma das principais causas de amputação, a queimadura de IV grau tem sido mais vista em animais que são incendiados por vândalos ou expostos à descarga elétrica.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

As causas, como já citado acima, podem ser originadas por inúmeros fatores. Desde de a exposição prolongada à radiação solar até mesmo o contato com produtos químicos. É importante que antes da ida ao médico veterinário ou à execução dos primeiros socorros, o tutor procure saber que causa originou aquela lesão no seu animal.

Em relação aos primeiros socorros de cães queimados, devemos ter em mente que as manobras a serem executadas não são o tratamento efetivo que o animal deve ter, e sim, a estabilização do quadro do animal até que ele chegue à clínica veterinária mais próxima.

Queimaduras de I e II graus: Nessas duas situações, o tutor deve se acalmar ao máximo antes de executar os procedimentos. O animal quando está exposto a fortes dores, normalmente reage a qualquer aproximação com agressividade. Cuidado, ele poderá mordê-lo! Aproxime-se do seu animal, aplique água limpa no local da lesão por pelo menos 5 minutos. Não esfregue e nem passe nenhum produto químico em cima. Em seguida, enrole o local da lesão com um pano limpo e siga imediatamente para a clínica mais próxima.

Queimaduras de III e IV graus: Como dito anteriormente nas classificações das lesões, as queimaduras de III e IV graus são extremamente graves e devem ter uma atenção mais redobrada. Em muitos casos, o tutor pode encontrar seu pet desacordado o totalmente prostrado. É importante que antes mesmo de atender aos ferimentos, o tutor observe os sinais vitais do animal, como: respiração, batimento cardíaco e reflexo palpebrar. Caso o animal esteja desacordado, o tutor pode puxar a língua, a fim de proporcionar uma melhor entrada de ar. A utilização de água limpa pode ser usada, assim como na de I e II graus. Em seguida, enrole o animal com um tecido limpo e leve-o a um profissional para iniciar o tratamento correto.

Não tente tratar o animal em casa passando remédios sem a opinião de um médico veterinário. Mantenha seu animal sempre longe de produtos e materiais nocivos. O cuidado correto previne de qualquer dano ao pet.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

Livre após passar 38 anos preso injustamente, homem reencontra cachorro que conheceu na prisão

por Andrezza Oestreicher — publicado 24 fev 2018 - 9:32

Em 1980, quando tinha 21 anos de idade, Malcolm Alexander foi acusado e condenado por um crime grave e pegou prisão perpétua.

Porém, desde o dia de sua prisão, Malcolm se disse inocente e continuou afirmando isso durante todo o tempo em que esteve preso. Até que o Innocence Project (Projeto de Inocência), uma organização legal sem fins lucrativos dedicada cuidar de casos de pessoas que podem ter sido condenadas injustamente, resolveu,

 » Read more about: Livre após passar 38 anos preso injustamente, homem reencontra cachorro que conheceu na prisão  »

Aluno manda cartinha fofa para professora que acabou de perder o cachorro

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 fev 2018 - 9:34

Perder um cachorro é sempre muito triste e quem passa por esse momento sabe como é importante receber conforto e carinho das pessoas que amamos e também dos outros animais da família.

Pensando nisso, um aluno decidiu mandar uma cartinha para confortar uma professora quando soube que o cãozinho dela tinha acabado de falecer.

A cartinha era tão fofa, que a filha da professora decidiu fotografar e publicar no Twitter.

 » Read more about: Aluno manda cartinha fofa para professora que acabou de perder o cachorro  »

Cachorro sobrevive após ser arremessado pela janela durante acidente de carro

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 fev 2018 - 19:09

Muitos tutores ainda não conseguem entender o tamanho do perigo que é transportar animais de estimação no carro da forma incorreta. Além dos pets, as pessoas que estão dentro do automóvel também correm riscos.

Em Franca, município no interior do estado de São Paulo, um pequeno cachorrinho quase morreu ao ser arremessado pela janela de um carro durante um acidente.

Sendo levado no banco da frente, no colo de sua tutora, forma errada,

 » Read more about: Cachorro sobrevive após ser arremessado pela janela durante acidente de carro  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Livre após passar 38 anos preso injustamente, homem reencontra cachorro que conheceu na prisão

por Andrezza Oestreicher — publicado 24 fev 2018 - 9:32

Em 1980, quando tinha 21 anos de idade, Malcolm Alexander foi acusado e condenado por um crime grave e pegou prisão perpétua.

Porém, desde o dia de sua prisão, Malcolm se disse inocente e continuou afirmando isso durante todo o tempo em que esteve preso. Até que o Innocence Project (Projeto de Inocência), uma organização legal sem fins lucrativos dedicada cuidar de casos de pessoas que podem ter sido condenadas injustamente, resolveu, em 1996, lutar por este homem.

Malcolm Alexander reunited with puppy

Malcolm Alexander, who was freed after nearly 38 years, will be joining us for a Facebook Live today at 4 p.m. ET. __Get started by leaving a question for him below and learn more about his case here: owl.li/i2Bu30i5VOE

Posted by Innocence Project on Tuesday, February 20, 2018

No dia 30 de janeiro deste ano, 2018, Malcolm Alexander foi liberado da penitenciária de Louisiana. Ele foi absolvido graças a provas que envolviam evidências de DNA.

38 anos depois e com 58 anos de idade, Malcolm, finalmente estava livre e pôde voltar para a sua família, sua mãe, filho e neto. Mas, estava faltando algo na vida dele. Algo muito importante que tinha ficado na penitenciária.

Era a cadelinha Innocence, também chamada de Inn, uma Labrador preta de nove meses de idade que nasceu na penitenciária e foi cuidada por Malcolm.

Felizmente, uma advogada do projeto que ajudou Malcolm cuidou também para que a cadela pudesse ficar com ele fora da prisão. “Você não tem mais nada com que se preocupar … Eu disse que eles iriam nos tirar”, ele disse para Inn quando a encontrou pela primeira vez após ser solto.

(Vídeo: Reprodução / YouTube NOLA.com)

A cadela, e mais nove irmãos, nasceu na penitenciária e vivia nos locais onde o homem trabalhava lá dentro, a loja de metais e a loja de madeira. Ele cuidou dela e a alimentou durante todo esse tempo e teve o direito de ficar com ela do lado de fora.

Ter um cão é um privilégio. Isso faz o mundo diferente”, afirmou Malcolm ao TODAY.

O homem, que aprendeu carpintaria, marcenaria e fabricação de joias durante seu tempo na prisão, espera encontrar trabalho em breve.

Fonte: Life With Dogs

Aluno manda cartinha fofa para professora que acabou de perder o cachorro

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 fev 2018 - 9:34

Perder um cachorro é sempre muito triste e quem passa por esse momento sabe como é importante receber conforto e carinho das pessoas que amamos e também dos outros animais da família.

Pensando nisso, um aluno decidiu mandar uma cartinha para confortar uma professora quando soube que o cãozinho dela tinha acabado de falecer.

O cãozinho precisou ser eutanasiado e sua tutora ficou muito triste. (Foto: Reprodução / Twitter @luciedunne_)

A cartinha era tão fofa, que a filha da professora decidiu fotografar e publicar no Twitter. O caso, que aconteceu na Escócia, acabou fazendo muito sucesso na internet.

Junto das imagens, Lucie Dunne, filha da professora, escreveu: “Mamãe ficou tão triste por termos que colocar o cachorro para dormir (eutanasiar) e estressada por ter que voltar para a escola hoje, e ela recebeu isso de um pequenino menino em sua classe”.

Na cartinha escrita em inglês, o menino fez um fofo poema começando cada frase com uma letra do nome do cão, um Golden Retriever que se chamava Charlie.

“Senhora Dunne, me desculpe se você não gostar da minha carta ou se ela deixá-la emocionada.
Querida Senhora Dunne, eu sinto muito pelo seu cachorro.
Eu quero dizer que o seu cachorro era
Atrevido, eu aposto que o seu cachorro era muito atrevido.
Feliz, eu aposto que o seu cachorro estava sempre feliz.
Adorável, eu aposto que o seu cachorro era super adorável!
Conectado, eu aposto que o seu cachorro era conectado e tinha uma ligação com você.
Sortudo, eu aposto que o seu cachorro era muito sortudo.
Incrível, eu aposto que o seu cachorro era superincrível.
Enérgico, eu aposto que o seu cachorro era sempre cheio de energia.
Mas, acima de tudo, eu sei que o seu cachorro era especial.
O seu cachorro está em um lugar melhor e está cuidando de você”.

Nós ficamos emocionados com a atitude deste menino e sonhamos com um mundo com mais pessoas com o coração cheio de amor, igual ao do pequenino.

Fonte: Veja São Paulo