Sarna Otodécica em cães (Sarna de ouvido)

Conhecida popularmente como “Sarna de ouvido”, a Sarna Otodécica é uma moléstia causada por um ácaro chamado Otodectes cynoti.

por George Augusto — publicado 27 abr 2015 - 7:13

A sarna é uma das doenças mais conhecidas entre os tutores de cães, porém poucos sabem que existem vários tipos de sarna, inclusive uma que se origina no ouvido dos pets, conhecida popularmente como “Sarna de ouvido”. Chamado dentro da medicina veterinária como Sarna Otodécica, essa moléstia é causada por um ácaro chamado Otodectes cynoti que parasita cães, independentemente de sexo, raça, porte ou idade. Ao contrário de outros tipos de sarnas, a sarna otodécica não é uma zoonose, isto é, não é transmitida do animal para o ser humano.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A transmissão desse parasita ocorre principalmente por contato direto do animal infectado com o animal sadio. Além de ser considerada uma enfermidade altamente contagiosa, o ácaro que dissemina a doença, tem um ciclo de vida bastante rápido. Para se ter uma idéia, apenas quatro horas em média depois que os ovos foram postos no ouvido dos cães, eles eclodem. É muito importante que se tome bastante cuidado com os animais sadios que convivem com o animal infectado, principalmente cães e gatos, pois eles podem ser rapidamente parasitados.

A sarna de ouvido, na maioria das vezes, é confundida com a otite (inflamação do ouvido). Esse erro no diagnóstico se dá devido à semelhança dos sinais clínicos apresentados pelo animal acometido. Geralmente, isso ocorre com tutores que consultam seus cães com balconistas ou tosadores de petshops. Assim como qualquer doença, a sarna otodécica quando se encontra na fase inicial, apresenta quase nenhum sintoma, passando facilmente despercebido pelo tutor.

Um dos primeiros sinais clínicos que um animal parasitado com o ácaro Otodectes cynoti é a coceira excessiva. Isso é encontrado basicamente em toda sarna, no entanto, nesse caso, se localiza unicamente na região da orelha. Animais que possuem orelhas pendulares (orelhas caídas) tendem a sofrer mais com essa condição, pois acabam traumatizando a orelha, acarretando assim um Otohematoma. E nesse caso, só a intervenção cirúrgica fará a correção. Juntamente com a coceira, normalmente o pet apresenta o sintoma de balançar a cabeça de um lado para o outro. É nesse sintoma que muitas pessoas confundem com a otite.Além da coceira e do balançar de cabeça, os cães podem apresentar um sinal clínico bem característico que é a alta concentração de cera no ouvido de coloração marrom escura.

Animais que estão bastante parasitados, podem apresentar também: Inquietude; Emagrecimento; Otite; inapetência entre outros sinais.

O diagnóstico deve ser feito unicamente por um médico veterinário devidamente registrado no CRMV. O histórico do animal, juntamente com o exame clínico minucioso, são bastante importantes para um bom diagnóstico. É importante que o profissional recolha amostras da cera do ouvido do pet para exame laboratorial. Isso ajuda para o  diagnóstico ser rápido e preciso.

O tratamento consiste em uma terapia medicamentosa específica escolhida pelo profissional médico veterinário. O prognóstico é muito bom, por isso é importante que o tutor siga a risca o protocolo medicamentoso.

A prevenção consiste em levar todos os cães que convivem com o parasitado para uma consulta. É importante também que o tutor examine a orelha do pet constantemente, a fim de encontrar alguma anormalidade.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

Cãozinho sem uma pata ganha uma nova família em evento de adoção

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 jan 2018 - 18:30

Cães adultos e sem raça definida são os mais difíceis de serem escolhidos para adoção. A preferência por filhotes ainda é muito grande. Quando o cão é sem raça definida, famoso vira-lata, adulto e possui alguma deficiência física, é ainda mais difícil que ele seja escolhido.

O cãozinho Tripé conhece bem essa dificuldade. Ele foi resgatado após ser atropelado em uma rua de Campo Grande em novembro do ano passado. O cachorro foi levado para o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) local,

 » Read more about: Cãozinho sem uma pata ganha uma nova família em evento de adoção  »

Larissa Manoela marca presença em evento de adoção e leva uma vira-lata para casa

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 jan 2018 - 9:35

No último sábado, dia 20 de janeiro, o Instituto Luisa Mell promoveu um enorme evento de adoção onde disponibilizou vários cachorros, incluindo alguns dos cães de raça resgatados em setembro do canil clandestino de Osasco.

Realizado no Shopping Morumbi, em São Paulo, a feira de adoção conseguiu novos lares para vários animais e contou com uma visita ilustre, a estrela teen Larissa Manoela.

Olhem que presente! @larissamanoela veio aqui e #adotou nossa Vitória Regina,

 » Read more about: Larissa Manoela marca presença em evento de adoção e leva uma vira-lata para casa  »

Após sumir do local onde estava hospedado, cachorrinho de Sthefany Brito é encontrado morto

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 jan 2018 - 18:35

A atriz Sthefany Brito teve seu momento de férias e descanso tomado por uma grande preocupação com um de seus pets que foi seguida por uma péssima notícia, a morte do seu cachorrinho de estimação Snow.

O cão Snow, um Buldogue Francês branquinho de dois anos de idade, estava hospedado em um hotel para cachorros enquanto sua mamãe famosa estava viajando pela Europa aproveitando suas férias.

Meu amigo foi embora hj e olha aonde eu vim parar de surpresa!?

 » Read more about: Após sumir do local onde estava hospedado, cachorrinho de Sthefany Brito é encontrado morto  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cãozinho sem uma pata ganha uma nova família em evento de adoção

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 jan 2018 - 18:30

Cães adultos e sem raça definida são os mais difíceis de serem escolhidos para adoção. A preferência por filhotes ainda é muito grande. Quando o cão é sem raça definida, famoso vira-lata, adulto e possui alguma deficiência física, é ainda mais difícil que ele seja escolhido.

O cãozinho Tripé conhece bem essa dificuldade. Ele foi resgatado após ser atropelado em uma rua de Campo Grande em novembro do ano passado. O cachorro foi levado para o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) local, onde recebeu todos os cuidados veterinários e o tratamento que precisava.

O cãozinho nunca era escolhido para ser adotado por ter uma patinha a menos. (Foto: Reprodução / Facebook Amigos do CCZ)

Tripé se recuperou, ficou muito bem e foi colocado como disponível para adoção. Muita gente se simpatizava por ele, mas ninguém nunca o escolhia, pois o cãozinho não tinha mais uma de suas patinhas.

Porém, felizmente, na última feira de adoção do CCZ de Campo Grande, realizada no último final de semana, o cãozinho finalmente ganhou uma família. Ele vai ter um novo lar e vai saber o que é ser um animal de estimação muito amado.

Silvia de Souza contou que foi até o evento de adoção especialmente por causa de Tripé, por quem ela se apaixonou ao ver em uma publicação feita no Facebook do CCZ.

Até que Silvia se apaixonou pelo cão e o levou para casa, onde ele está recebendo muito amor. (Foto: Reprodução / Facebook Silvia Souza)

“Sabia que ele ia ser meu”, disse a nova tutora bastante emocionada após conseguir adotar o cachorro Tripé.

Já na nova casa, onde além de muito amor ganhou também quatro irmãos caninos, todos adotados por Silvia, o cachorro recebeu um novo nome. Agora, Tripé se chama Valente Katsusuo, que significa herói vitorioso em japonês.

Fonte: Correio do Estado

Larissa Manoela marca presença em evento de adoção e leva uma vira-lata para casa

por Andrezza Oestreicher — publicado 23 jan 2018 - 9:35

No último sábado, dia 20 de janeiro, o Instituto Luisa Mell promoveu um enorme evento de adoção onde disponibilizou vários cachorros, incluindo alguns dos cães de raça resgatados em setembro do canil clandestino de Osasco.

Realizado no Shopping Morumbi, em São Paulo, a feira de adoção conseguiu novos lares para vários animais e contou com uma visita ilustre, a estrela teen Larissa Manoela.

Depois de visitar o Instituto Luisa Mell e ver de perto todo o trabalho que é feito lá, além de levar uma doação em dinheiro que conseguiu arrecadar em uma parceria que fez com o BRECHÓ KING, a atriz e cantora quis fazer mais.

Larissa Manoela esteve presente no evento de sábado e deixou a ativista animal Luisa Mell muito feliz ao adotar um dos animais que estavam esperando por um lar e emocionou a todos com sua escolha.

Entre os muitos animais disponíveis para adoção estavam alguns filhotes de raça, os resgatados do canil clandestino de Osasco. Porém, a atriz se apaixonou e decidiu levar para casa uma cadela sem raça definida e já adulta. A adoção por si só foi bastante comemorada, mas por se tratar de um animal adulto, tudo foi ainda mais especial, pois os cães mais velhos são mais difíceis de serem adotados.

A cantora publicou vários vídeos do evento no Stories do seu perfil no Instagram e após a adoção fez uma linda declaração de amor para a sua mais nova peluda, que se chama Vitória Regina e já ganhou o coração de sua mamãe.

Junto com fotos fofas que mostram a cadelinha lambendo sua nova tutora, Larissa Manoela escreveu: “Não é verdade que os animais não falam…o Criador colocou as palavras nos seus olhos. ADOTEI! Essa é VITÓRIA REGINA e ela vai ser muito amada a partir de agora. Que sensação inexplicável vivi hoje no Shopping Morumbi na adoção do @institutoluisamell. Muita emoção e corações reunidos em prol desse gesto lindo que é a adoção!!! Brigada @luisamell mais uma vez pela oportunidade e por agora ter um pedacinho de você e da sua bondade junto comigo. Faça como eu e adote também. Apaixonada pela minha nova peluda”.