Apatia em cães

Nome apatia tem origem grega chamada de Apátheia que significa “Aquilo que afeta o corpo e a alma”

por George Augusto — publicado 19 jan 2015 - 11:28

A maioria dos tutores de cães já ouviu falar no termo “apatia”, porém alguns deles não compreendem perfeitamente o que essa palavra quer dizer. Dentro da medicina, tanto na veterinária quanto na humana, é bastante utilizada essa expressão para alegar que o paciente não demonstra emoção ou motivação para estímulos. Esse nome apatia tem origem grega chamada de Apátheia que significa “Aquilo que afeta o corpo e a alma”. Na maioria das doenças de animais domésticos, dentre ele os cães, é possível observar a presença de apatia bem clássica. Essa mudança na conduta do animal é observada primeiramente pelo seu tutor, quando o mesmo alega para o médico veterinário uma mudança brusca no comportamento do seu pet.

A apatia pode aparecer em cães por inúmeros motivos, desde os mais leves até sérios problemas de saúde. Uma das doenças mais comuns onde são observados os sintomas da apatia, são as doenças virais, como a: Cinomose, Parvovirose, Coronavirose , entre várias outras. Não obrigatoriamente as doenças virais são as vilãs para o aparecimento desses sintomas. Normalmente, qualquer anormalidade no estado de saúde de um animal, fará com que ele apresente um quadro de apatia. É nesse momento que os tutores observam que há alguma coisa errada com o seu animal e o levam para uma consulta com um médico veterinário.

Não necessariamente a apatia aparece sozinha no animal. Muitas vezes, o animal apresenta concomitantemente um quadro de vômito, diarréia ou até mesmo uma desidratação grave. Como afirmado no início do texto, o primeiro a observar o sintoma é o tutor, quando o cão não responde mais às brincadeiras e nem à voz de comando. Um animal que antes pulava e abanava o rabo quando via seu tutor, no momento que apresenta apatia, apenas olha, mas não esboça emoção alguma. Muitas pessoas chegam à clínica veterinária alegando que seu cão está “tristinho” há alguns dias.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Assim como várias outras anormalidades no comportamento do cão, é importante que tenha a opinião de um profissional da área, o médico veterinário. É importantes lembrar que a apatia não é uma doença, e sim um sintoma. A avaliação feita pelo profissional é investigativa,  a fim de diagnosticar a causa que levou o animal a ter essa mudança de comportamento. São feitos vários tipos de exame, tanto laboratoriais quanto exames físicos. É nesse momento que são descobertas as possíveis causas.

O tratamento é feito a partir de quando se encontre a causa originária que levou ao sintoma. O sintoma de apatia irá desaparecer de acordo da doença que foi diagnosticada e a resposta do animal ao tratamento. Existem cães que no terceiro dia de tratamento já se pode ser observado a volta do seu comportamento normal, isso dependerá da resposta de cada animal. Faça o tratamento somente com um profissional habilitado. Não consulte seu animal com atendente de petshop, pois o diagnóstico feito por ele pode estar totalmente errado, comprometendo assim, a vida do seu animal.

A prevenção para que não ocorra a apatia consiste na vacinação anual do seu cão e a ida rotineira para uma avaliação numa clínica veterinária. O correto é levar o animal a um médico veterinário assim que ele apresentar qualquer anormalidade no seu comportamento. Muitos tutores esperam semanas com a esperança de haver melhora, fazendo com que seu cão chegue à clínica num estado crítico, sendo algumas vezes, impossível a reversão do quadro.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

Homem em fase terminal de doença consegue se despedir de seu cachorro no hospital

por Andrezza Oestreicher — publicado 17 nov 2017 - 9:32

Quem é apaixonado por cachorro sabe como é muito difícil se manter distante de seu melhore amigo de quatro patas. Na hora de viajar, a despedida do cão sempre é a mais demorada de todas e na volta o cãozinho é sempre o primeiro a ganhar um abraço.

Muitas pessoas que estão doentes em hospitais acabam ficando ainda piores pela falta que sentem de seus cachorrinhos. No caso de pacientes que não têm mais uma perspectiva de conseguir voltar para casa,

 » Read more about: Homem em fase terminal de doença consegue se despedir de seu cachorro no hospital  »

80 cachorros ganharam novas famílias em um mesmo dia durante evento de adoção no Canadá

por Andrezza Oestreicher — publicado 16 nov 2017 - 18:33

Não é só aqui no Brasil que existem muitos bichinhos vivendo em abrigos e esperando para serem adotados. Infelizmente, animais são abandonados no mundo todo e acabam recebendo a ajuda de instituições de resgate e abrigos, que salvam a vida de muitos pets.

As feiras de adoção realizadas pelos abrigos são uma forma de encontrar novas famílias para os animais que vivem nos abrigos e abrir espaço para que as instituições de resgate possam ajudar novos bichinhos.

 » Read more about: 80 cachorros ganharam novas famílias em um mesmo dia durante evento de adoção no Canadá  »

Ewan McGregor passeia com seu cachorrinho, que se recupera de atropelamento

por Andrezza Oestreicher — publicado 16 nov 2017 - 9:38

Em outubro, apenas alguns dias depois de anunciar publicamente o fim do seu casamento de mais de 20 anos, o ator Ewan McGregor, famoso por seus papéis nos filmes “Moulin Rouge”, “Peixe Grande” e “Star Wars”, também passou por um grave problema com seu cachorrinho de estimação.

Sid é um cachorrinho sem raça definida que foi adotado pelo ator de uma instituição chamada Lange Foundation, que fica em Santa Mônica, na Califórnia, Estados Unidos,

 » Read more about: Ewan McGregor passeia com seu cachorrinho, que se recupera de atropelamento  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Homem em fase terminal de doença consegue se despedir de seu cachorro no hospital

por Andrezza Oestreicher — publicado 17 nov 2017 - 9:32

Quem é apaixonado por cachorro sabe como é muito difícil se manter distante de seu melhore amigo de quatro patas. Na hora de viajar, a despedida do cão sempre é a mais demorada de todas e na volta o cãozinho é sempre o primeiro a ganhar um abraço.

Muitas pessoas que estão doentes em hospitais acabam ficando ainda piores pela falta que sentem de seus cachorrinhos. No caso de pacientes que não têm mais uma perspectiva de conseguir voltar para casa, o grande desejo é conseguir se despedir de seus melhores amigos.

A pequena cadelinha conseguiu entrar no hospital escondida dentro de uma bolsa. (Foto: Reprodução / Twitter @elliemigueel)

E era justamente isso o que David King mais queria, ter a oportunidade de se despedir da sua cadelinha Lil Fee.

De acordo com a neta de David, Ellie Miguel, seu avô estava lutando contra um câncer há cerca de dois anos, porém, nos últimos meses ele vinha perdendo essa batalha e precisou ser internado, ficando longe de sua cadelinha.

Ellie falou que seu avô adorava a cadelinha e a levava para todos os lugares que podia. Já a cadelinha seguia o homem o tempo todo e estava sempre pertinho dele.

Ao perceber que não tinha mais chances de voltar para casa, o homem passou a ter um desejo: conseguir se despedir de se companheira canina. Tocadas com o amor do homem por sua cadela, as enfermeiras do hospital onde ele estava internado, nos Estados Unidos, ajudaram a realizar a vontade do paciente, apesar de ser proibida a entrada de animais no local.

A despedida de David e sua amiga canina foi emocionante. (Foto: Reprodução / Twitter @elliemigueel)

A esposa de David e uma das filhas do casal conseguiram levar a pequena Lil Fee para visitar seu amigo humano. A cadelinha entrou no hospital escondida em uma grande bolsa.

Segundo Ellie Miguel, que fez fotos do encontro secreto, o momento foi emocionante e seu avô ficou bastante feliz em poder se despedir pessoalmente de sua grande amiga e companheira canina.

Fonte: Life With Dogs

80 cachorros ganharam novas famílias em um mesmo dia durante evento de adoção no Canadá

por Andrezza Oestreicher — publicado 16 nov 2017 - 18:33

Não é só aqui no Brasil que existem muitos bichinhos vivendo em abrigos e esperando para serem adotados. Infelizmente, animais são abandonados no mundo todo e acabam recebendo a ajuda de instituições de resgate e abrigos, que salvam a vida de muitos pets.

As feiras de adoção realizadas pelos abrigos são uma forma de encontrar novas famílias para os animais que vivem nos abrigos e abrir espaço para que as instituições de resgate possam ajudar novos bichinhos.

Dezenas de cães foram levados dos Estados Unidos para o Canadá para terem uma nova chance. (Foto: Reprodução / CTV News)

Porém, no caso de alguns abrigos, a adoção dos animais significa mais do que ganhar uma nova família, significa uma chave de viver. Pois existem diversos abrigos, como nos Estados Unidos, que ficam tão cheios de cães e gatos que acabam partindo para a eutanásia e matam os bichinhos que não são adotados.

Dezenas de cachorros retirados de um abrigo que pratica a eutanásia na Califórnia, Estados Unidos, ganharam uma família e, com isso, uma nova chance de vida ao serem levados para a cidade de Richmond, no Canadá.

Lá, esses animais participaram de uma grande feira de adoção e todos os 80 cães que estavam na fila para a eutanásia foram adotados.

80 cães foram adotados no Canadá e terão uma nova vida. (Foto: Reprodução / CTV News)

Essa nova chance para todos esses cães só aconteceu graças a uma instituição de resgate animal sem fins lucrativos chamada “Thank dog I am out”, localizada na província de Colúmbia Britânica, no Canadá.

A organização, com muito esforço, conseguiu levar esses animais da Califórnia para o Canadá para que eles tivessem a chance de encontrar uma família amorosa e não precisassem sem eutanasiados.

Antes de serem adotados, os cachorros receberam todos os cuidados necessários, incluindo vacinas, e também foram castrados.

Fonte: CTV News