Dúvidas sobre o Certificado Zoossanitário Internacional – CZI

por Samantha Kelly — publicado 23 jul 2012 - 17:09

No site do Ministério da Agricultura, encontramos um F.A.Q. muito útil sobre o Certificado Zoossanitário Internacional – CZI; o que é, para que serve, quando usar, aonde tirar, etc.

 

Viagens Internacionais

O que preciso fazer para levar meu cão ou gato em viagem ao exterior?
1. Buscar informações sobre as normas sanitárias exigidas pelo país de destino. Para isso, consulte a lista dos países mais procurados ou solicite informações à embaixada/consulado de cada um.
2. Providenciar a documentação necessária, no mínimo, dez dias antes da viagem, pois a vacina contra a raiva, por exemplo, precisa desse prazo para fazer efeito. No caso de primeira vacinação, são necessários 30 dias de antecedência.
3. Você precisará do Certificado Zoosanitário Internacional (CZI), que é obtido nas unidades do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento no aeroporto, porto ou posto de fronteira mais próximo e nas Superintendências Federais de Agricultura em cada estado.Clique aqui para encontrar a unidade mais próxima.
4. A validade do CZI varia entre cinco e dez dias. Ou seja, a partir do momento em que o documento é emitido, o animal tem até 10 dias para entrar no país de destino. Caso a viagem em si demore mais de 10 dias (transporte marítimo, por exemplo) o prazo de validade do CZI pode ser estendido.

O que é CZI?
O Certificado Zoossanitário Internacional – CZI é o documento emitido, ou chancelado, pelo Serviço Veterinário Oficial do país de procedência dos animais, com o intuito de garantir não apenas a saúde do animal como o cumprimento das condições sanitárias exigidas para o trânsito internacional até o país de destino.  No Brasil, o CZI só é emitido pelas unidades do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O CZI é utilizado por todos os países?
Não. Mas todos os países possuem um documento oficial com o mesmo fim e que é aceito pelos demais países com os quais mantém relações diplomáticas e comerciais. Por exemplo, alguns países exigem a implantação de chips eletrônicos ou emitem passaportes animais para o controle de entrada e saída de cães e gatos.

O que é necessário para obter o CZI no Brasil?
Dirigir-se à unidade do Vigiagro mais próxima, levando atestado de saúde do animal, assinado por um veterinário, e carteira de vacinação em dia, além dos demais documentos exigidos pelo país de destino para o trânsito de animais. As exigências diferem de acordo com o destino pretendido. É recomendado que o proprietário do animal informe-se sobre os requisitos do país de destino antes de dirigir-se à unidade do Vigiagro. As autoridades brasileiras só podem emitir o CZI se toda a documentação exigida pelo país de destino estiver cumprida. Consulte a lista com as exigências dos destinos mais procurados pelos brasileiros.

O atestado de saúde do animal, para fins da viagem, tem validade determinada?
Sim. Ele deve ter sido emitido pelo veterinário até no máximo três dias antes da entrada na papelada do CZI numa unidade do Vigiagro.

O CZI tem validade determinada?
Sim. O documento vale entre 5 e 10 dias, conforme o país de destino, contados do momento da retirada na unidade do Vigiagro até a chegada no país de destino. Caso a viagem demore mais de 10 dias (transporte marítimo, por exemplo) o prazo de validade do CZI pode ser estendido.

Os documentos que preciso para sair do Brasil com meu animal e para retornar ao país são diferentes?
Sim. São duas situações diferentes. Uma é o que o Brasil exige na ocasião da entrada de animais de companhia (CZI emitido pelo país de origem, atendendo aos requisitos sanitários brasileiros para aquele país). A outra é o que os demais países exigem na ocasião da entrada em seus territórios, que o Brasil deve certificar.

É necessário levar o animal no momento de solicitar o CZI?
Considerando a necessidade imposta por alguns países, é recomendável levar o animal no momento de solicitar o CZI. Nos demais casos, o proprietário e o médico veterinário constante no atestado são responsáveis pela fidelidade das informações, que serão fiscalizadas nos pontos de ingresso/egresso.

O CZI é obtido na hora?
Sim, o CZI é feito na hora. Excepcionalmente, porém, devido à grande demanda em algumas unidades, a entrega poderá demorar até um prazo máximo de 48 horas, desde que todos os requisitos tenham sido atendidos.

Qual o horário de atendimento das unidades do Vigiagro?
De segunda a sexta-feira em horário comercial (8h às 18h). Consulte a unidade mais próxima.

Posso emitir o CZI no mesmo dia do embarque do meu voo?
Não se recomenda comparecer à unidade do Vigiagro no mesmo dia do embarque, pois caso exista alguma inconformidade na documentação ou até mesmo ausência de algum documento não será possível emitir o CZI, podendo acarretar na perda do voo.

Preciso contratar um despachante para emitir o CZI?
Não, qualquer pessoa pode comparecer à unidade do Vigiagro e emitir o CZI.

Quanto tempo o animal pode permanecer no exterior?
O tempo de permanência do animal no exterior é ilimitado.

Qual a exigência brasileira para receber esses animais de volta?
A exigência brasileira para receber um cão ou um gato é o CZI, emitido pelo serviço veterinário oficial do país de origem, comprovando a vacinação contra a raiva (vacina antirrábica).
Nos casos em que os animais são provenientes de países que declaram oficialmente junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) a presença em seu território de Peste Eqüina Africana e/ou Febre do Vale do Rift, no CZI devem constar informações adicionais, conforme a legislação vigente. (Portaria nº 429/97 e 430/97).

Moro no exterior ou sou estrangeiro. O que preciso fazer para trazer meu cão ou gato ao Brasil?
Procure o serviço veterinário oficial do país onde reside para obter o CZI e outras informações necessárias para a viagem. A exigência brasileira para receber um cão ou um gato é o CZI, emitido pelo serviço veterinário oficial do país de origem, comprovando a vacinação contra a raiva (vacina antirrábica).

Meu animal é brasileiro, posso voltar para o país com o mesmo CZI emitido pelo Ministério da Agricultura?
Não. O CZI do Brasil só é válido para sair do país e não para voltar.Preciso pagar alguma taxa?
No Brasil, o Certificado Zoossanitário Internacional é emitido gratuitamente pelo Vigiagro. Para este tipo de transporte, porém, as companhias aéreas cobram taxas baseadas no peso e tamanho do animal, a critério de cada empresa. Cada país tem regras específicas para a emissão do documento de viagem.

Quais os riscos de viajar sem o CZI?
A certificação serve como atestado de saúde do animal para o ingresso no país desejado. Sem o documento, o animal está sujeito a apreensão e deportação ou sacrifício pelas autoridades sanitárias do destino. As vacinas exigidas, além disso, protegem seu cão ou gato contra doenças endêmicas.

Há exigências sobre a caixa de viagem do cão ou gato?
Consulte as regras da companhia área.

Qual é o tamanho mínimo da caixa de transporte do meu animal?
Essa informação deve ser obtida diretamente na companhia aérea responsável pelo transporte.

Posso viajar com o meu animal na cabine de passageiros?
Depende do tamanho e peso do animal e também das regras internas da companhia área responsável pelo transporte.

Preciso dar algum medicamento para o meu animal durante a viagem?
Somente o médico veterinário responsável pelo seu animal é capaz de prescrever algum medicamento caso seja necessário.

Caso o animal adoeça no exterior, como retornar com ele ao Brasil?
É necessário procurar um veterinário para tratá-lo antes da viagem de retorno. Só será possível retornar com o cão ou gato ao Brasil com o Certificado Zoossanitário Internacional emitido pela autoridade sanitária do país de origem, dentro do prazo de validade e atestando plenas condições de saúde.

Posso trazer a ração que sobrou da viagem?
Não. Esses produtos têm a entrada proibida no Brasil por oferecerem riscos sanitários à agropecuária.

Para viajar dentro do Brasil, de avião, carro ou outro meio de transporte, é necessário levar alguma documentação do cão ou gato?
Em viagens nacionais, durante o deslocamento, o proprietário deve ter em mãos a carteira de vacinação do animal, atualizada para a vacina contra a raiva e atestado de saúde emitido pelo veterinário particular. Se no atestado constar que a vacinação antirrábica está em dia, basta o atestado.

E o que preciso fazer para viajar dentro do Brasil com outros animais de companhia?
Qualquer animal que não seja cão ou gato precisa ter uma Guia de Trânsito Animal (GTA) para viagens dentro do país. O documento deve ser obtido na sede da Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento (Seappas) dos estados ou municípios.

Qualquer médico veterinário pode emitir o atestado de saúde ou é necessário possuir cadastro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)?
Não existe cadastro no Ministério da Agricultura para emissão de atestado de saúde de cães e gatos, porém o médico veterinário deve estar registrado no Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV).

O que é necessário conter no atestado de saúde do veterinário particular?
O atestado deve atender às exigências sanitárias de acordo com o país de destino, por isso é importante consultar a Embaixada, Consulado ou Serviço Veterinário Oficial do país que irá receber seu animal. Além disso, é fundamental atender à Resolução 844 de 20 de setembro de 2006 do Conselho Federal de Medicina Veterinária, o que dispõe: Art. 3º O atestado sanitário deverá conter, no mínimo: I – nome, espécie, raça, porte, sexo; II – pelagem, quando for o caso; III – idade real ou presumida; IV – informação sobre o estado de saúde do animal; V – declaração de que foram atendidas as medidas sanitárias definidas pelo serviço veterinário oficial e pelos órgãos de saúde pública; VI – informações sobre imunização anti-rábica; VII – identificação do médicoveterinário: carimbo (legível) com o nome completo, número de inscrição no CRMV eassinatura; VIII – identificação do proprietário: nome, CPF e endereço completo; IX -data e o local.

A vacina antirrábica de campanha municipal ou estadual é válida para o trânsito internacional?Depende. No certificado de vacinação deverá conter os seguintes dados: nome comercial da vacina, número do lote, assinatura do médico veterinário e data de aplicação.

Vou viajar para um país cujo idioma é diferente do português. Como as autoridades irão entender o que está escrito no CZI?
Além do português, os CZIs com modelos já definidos também são emitidos no idioma oficial do país de destino. Caso não haja modelo acordado entre os países, consulte a Coordenação de Trânsito e Quarentena Animal do Mapa por meio do e-mail [email protected].

Hilary Duff faz homenagem muito emocionante para seu cachorro que faleceu

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 fev 2018 - 9:40

Quando passamos pelo triste momento da morte de um cachorro, nós, que amamos animais, sentimos uma dor muito forte e sentimos muito a partida.

É exatamente por esse momento que nenhum amante de animal quer passar que a atriz Hilary Duff, uma apaixonada por cachorros, está passando agora.

❤️💔forever

A post shared by Hilary Duff (@hilaryduff) on Feb 20, 2018 at 12:08pm PST

Hilary acabou de perder o seu companheiro peludo Dubois,

 » Read more about: Hilary Duff faz homenagem muito emocionante para seu cachorro que faleceu  »

Cachorro foge de casa e é encontrado cinco meses depois comendo pipoca no cinema

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 fev 2018 - 9:30

Além de muito fofos, carinhosos e amorosos, os cachorros também podem ser animais bastante arteiros e até deixar seus tutores bem preocupados. E o cachorro Muleke, que vive no município de Umuarama, no Paraná, parece ser desses que aprontam e continuam fazendo carinha de fofo.

O cachorro causou uma enorme preocupação nos seus tutores, que depois foi seguida por uma grande dor, quando fugiu de casa, em agosto de 2017, no momento em que sua tutora se descuidou ao abrir o portão para que o marido entrasse com o carro na garagem da residência.

 » Read more about: Cachorro foge de casa e é encontrado cinco meses depois comendo pipoca no cinema  »

Homem morde animal que estava atacando seu cachorro de estimação e salva pet

por Andrezza Oestreicher — publicado 20 fev 2018 - 18:29

Quando passamos pela situação de ver nossos animais de estimação sofrendo, sempre tentamos fazer o possível para minimizar essa dor. Muitas vezes, alguns tutores chegam a tomar atitudes por impulso, tudo para salvar a vida de seus animais.

E foi exatamente isso o que aconteceu com John Wood, um homem de 65 anos que não pensou duas vezes antes de se colocar em risco para salvar a vida do seu cachorro de estimação, um Jack Russell de 11 anos de idade chamado Bobby.

 » Read more about: Homem morde animal que estava atacando seu cachorro de estimação e salva pet  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Hilary Duff faz homenagem muito emocionante para seu cachorro que faleceu

por Andrezza Oestreicher — publicado 22 fev 2018 - 9:40

Quando passamos pelo triste momento da morte de um cachorro, nós, que amamos animais, sentimos uma dor muito forte e sentimos muito a partida.

É exatamente por esse momento que nenhum amante de animal quer passar que a atriz Hilary Duff, uma apaixonada por cachorros, está passando agora.

❤️💔forever

A post shared by Hilary Duff (@hilaryduff) on

Hilary acabou de perder o seu companheiro peludo Dubois, que passou 10 anos ao seu lado, e fez uma homenagem extremamente tocante para o cão nas suas redes sociais.

Junto com um vídeo que mostra o cachorro correndo em câmera lenta, a tutora escreveu (preparem os lencinhos, pois vocês também vão se emocionar):

“Nunca me deixei imaginar o que esse dia poderia parecer ou me fazer sentir. Fomos nós. E fomos invencíveis. Estou tendo que olhar para seus belos olhos em forma de amêndoa âmbar e dizer-lhe adeus hoje. E honestamente, eu sentiria a dor de perder você 10 vezes para ter tido você por até um quarto desse tempo meu Dubie. Em primeiro lugar … obrigado … por ser meu melhor amigo … verdadeiramente. Você esteve comigo nos momentos de verdadeira dor, verdadeira felicidade e alegria, verdadeira confusão e desapontamento e tudo de novo.

I never let myself imagine what this day would look or feel like. It was us. And we were invincible. I am having to look into your beautiful amber almond shaped eyes and tell you goodbye today. And honestly I would take the pain of losing you 10x over to have had you for even a quarter of that time my dubie. First of all…thank you…for being my best friend…truly. You have been with me though true pain, true happiness and joy, true confusion and disappointment and all over again. You are more then I could have ever dreamt up on my own. I haven’t taken a step without you beside me for 10 years. You are my protector my comfort, my shadow, my understanding of all things good and warm and fierce. I can’t imagine this house without your noise, your love, your energy, your smile and wagging tail💔 I know I will move into other parts of my life without you but I am scared. I have faith you will still be my shadow, my angel. There aren’t adjectives big enough to describe my love for you Dubes. My gratitude. I will miss you everyday of my life my sweet boy. You were that once in a lifetime dog. That special bond that not everybody gets. And I got you. You picked me. You were a force. You changed me forever. I will see you at the other end of the rainbow My boy. Forever indebted to you. Rip Dubois 💔💔💔❤️❤️

A post shared by Hilary Duff (@hilaryduff) on

Você é mais do que eu poderia ter sonhado sozinha. Não dei um passo sem você ao meu lado por 10 anos. Você é meu protetor meu conforto, minha sombra, minha compreensão de todas as coisas boas, calorosas e ferozes. Não consigo imaginar esta casa sem o seu barulho, o seu amor, a sua energia, o seu sorriso e seu rabo abanando … Eu sei que vou me mudar para outras partes da minha vida sem você, mas estou com medo. Eu tenho fé, você ainda será minha sombra, meu anjo. Não há adjetivos suficientemente grandes para descrever meu amor por você Dubes. Minha gratidão. Eu sentirei sua falta todos os dias da minha vida, meu doce menino. Você era aquele cão único da vida. Esse vínculo especial que nem todo mundo obtém. E eu te peguei. Você me escolheu. Você era uma energia. Você me mudou para sempre. Eu vou ver você na outra extremidade do arco-íris, meu filho. Para sempre em dívida com você. Descanse em Paz, Dubois”.

A atriz é tutora ainda de outros três cãezinhos, o Bulldog Francês Peach, o Yorkie Jack e Momo, que foi adotado de uma organização de resgate.

Snoozers …but not losers

A post shared by Hilary Duff (@hilaryduff) on

Enviamos, de onde estivermos, muito amor e energia positiva para que Hilary Duff passe por esse triste momento de forma leve e que fiquem apenas as boas lembranças com seu cachorro tão amado e especial, Dubois.

Fonte: Cuteness

Cachorro foge de casa e é encontrado cinco meses depois comendo pipoca no cinema

por Andrezza Oestreicher — publicado 21 fev 2018 - 9:30

Além de muito fofos, carinhosos e amorosos, os cachorros também podem ser animais bastante arteiros e até deixar seus tutores bem preocupados. E o cachorro Muleke, que vive no município de Umuarama, no Paraná, parece ser desses que aprontam e continuam fazendo carinha de fofo.

O cachorro causou uma enorme preocupação nos seus tutores, que depois foi seguida por uma grande dor, quando fugiu de casa, em agosto de 2017, no momento em que sua tutora se descuidou ao abrir o portão para que o marido entrasse com o carro na garagem da residência.

Cãozinho fugiu de casa e passou cinco meses desaparecido. (Foto: Reprodução / Facebook Camila Candil)

Ao ver que o animal não estava na casa e perceber o que tinha acontecido, o casal ficou bastante preocupado e imediatamente começou a procurar seu amado cachorro de estimação pelas ruas da cidade.

De acordo com Camila Candil, tutora do cachorro Muleke, ela e o marido também fizeram uma campanha nas redes sociais em busca de informações sobre o animal. Mas, eles não tiveram sucesso e passaram os últimos cinco meses tristes, sem ter nenhuma notícia do cachorro.

Até que uma engraçada publicação no Facebook trouxe de volta a esperança do casal em reencontrar o cachorro Muleke. Acontece que a postagem falava sobre um cãozinho que passava todos os dias pelo cinema da cidade para comer pipoca.

Muleke foi encontrado comendo pipoca no cinema da cidade. (Foto: Reprodução / Facebook Camila Candil)

Pela imagem que acompanhava a publicação, o casal imediatamente começou a desconfiar de que se tratava de seu animal de estimação. A tutora entrou rapidamente em contato com os responsáveis pela postagem e teve a confirmação de que o comedor de pipoca era realmente Muleke.

Camila levou seu cachorro de volta para casa e agradeceu a todos que cuidaram dele durante esses cinco meses. Com medo de uma nova fuga, o casal providenciou uma plaquinha de identificação e colocou na coleira do cachorro.

Fonte: ANDA